GERAL ENSINO

Uniformes são entregues aos colégios cívico-militares de Assis Chateaubriand

Com o novo formato, estudantes têm aulas adicionais de Português, Matemática e Civismo, com ênfase no estudo de leis e cidadania

23/10/2021 23h45 Atualizada há 9 meses
Por: William Borges Fonte: Portal Vale Verde
Foto: William Borges
Foto: William Borges

Na manhã desta sexta-feira (22), foram entregues os uniformes aos estudantes matriculados nos colégios cívico-militares Guimarães Rosa e Senador Teotônio Vilela, de Assis Chateaubriand. A solenidade aconteceu no Centro de Convenções (Auditório Municipal) e contou com a presença de lideranças e autoridades políticas e militares, diretores, professores e policiais da reserva que irão integrar o corpo diretor das duas instituições cívico militares do município.

O kit adquirido pela Secretaria de Estado da Educação é composto por camiseta, conjunto abrigo e moletom (já entregues), além de camisa-farda, calça-farda, jaqueta tactel e boina (que serão entregues, posteriormente).

A proposta inovadora do Paraná está dando certo. O objetivo é não apenas aumentar o nível do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), mas também trazer ordem e progresso, com mais segurança nas escolas, além de uma formação baseada em princípios, disse o secretário de Administração e Previdência do Estado, Marcel Micheletto, que adiantou também a intenção do governador Ratinho Júnior de implantar mais 400 escolas cívico-militares no Paraná.

Foto: William Borges

O prefeito Valter Correia (Valtinho) define a consolidação da modalidade de ensino como um momento importante para Assis Chateaubriand.Principalmente por conta do modelo que vem com esse conceito de disciplina e resgate de vários valores. Quero saldar todos os professores e policiais da reserva que aceitaram esse desafio e tenho certeza que será um avanço para a educação chateaubriandense, destacou ele.

O Colégio Guimarães Rosa conta com 600 alunos e o Teotônio Vilela com 400 matriculados.

Foto: William Borges

Modelo cívico-militar

A proposta do ensino cívico-militar é uma parceria entre as secretarias de Estado da Educação e da Segurança Pública. Quase 200 colégios da rede estadual aprovaram a adoção do modelo, numa decisão tomada em consulta pública com professores, funcionários, alunos maiores de 18 anos e pais/responsáveis legais de estudantes das escolas.

Como professora, a educação é fundamental e eu acho que as escolas cívico-militares vão resgatar a valorização do professor, a aprendizagem do aluno e o respeito. Vai além do conhecimento científico, disse a chefe do Núcleo Regional de Educação (NRE) de Assis Chateaubriand, Rosilene Lombardi Mezzon.

Que o que mudou?

Com o novo formato, os alunos terão aulas adicionais de Português, Matemática e Civismo, com ênfase no estudo de leis e cidadania. Os estudantes do Ensino Médio também terão aulas de Educação Financeira. Além disso, a gestão dos colégios é compartilhada entre o diretor civil e o militar. O civil permanece encarregado das questões pedagógicas e o militar pela infraestrutura, patrimônio, finanças, segurança e atividades cívico-militares.

Nós temos uma grade horária ampliada. Então, os alunos têm 30 aulas semanais. São seis aulas diárias, com mais conteúdos de português e matemática, mas também com aulas da disciplina de civismo, que trabalha os conceitos de dignidade e respeito. Além disso, os policiais da reserva trabalharão como monitores nas escolas e, todos os dias, eles farão uma formatura com os alunos, antes de entregarem as salas de aula aos professores, explicou a chefe da NRE.

Foto: William Borges

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.